segunda-feira, 14 de maio de 2018

Livro: "Quem é você, Alasca?", de John Green


Preciso começar essa resenha informando a vocês que iniciei a leitura desse livro em 2015, quando o ganhei de aniversário, mas parei no meio da leitura por motivos de vida acadêmica sugando toda a minha energia (tanto quanto ou pior do que um dementador). Finalmente, 3 anos depois (!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!), agora que estou terminando a faculdade e tendo mais tempo livre, consegui pegar o livro para terminá-lo e estou me sentindo muito vitoriosa. Portanto, a resenha que vocês lerão hoje serão minhas impressões gerais da metade do livro pra frente, pois não lembro muito bem do início (spoiler a seguir) e, como não estava curtindo tanto assim a leitura, nem fiz questão de reler o início. (fim do spoiler)


Fãs de John Green, não fiquem bravos. Gosto dele. Amo Cidades de Papel e A culpa é das estrelas. O Teorema Katherine também me agradou. Mas não consigo defender Quem é você, Alasca?.

PS. PODE CONTER SPOILER!

Primeiro romance do autor, deu pra perceber a imaturidade no desenvolvimento da história, na escrita e principalmente no final, que não empolga em nada e te deixa com um tremendo vazio, tipo... é isso mesmo?

Pra início de conversa, não entrava na minha cabeça a ideia de adolescentes (pelo que entendi, por volta de 16 anos) fumando e bebendo como viciados (literalmente), a todo momento. Sei que adolescentes bebem e fumam, mas claramente houve um exagero ao relatar a dependência deles àquilo, como se fosse a única coisa divertida a se fazer num internato com seus amigos.

Além disso, o endeusamento da Alasca é contraditório o tempo todo. Ela é uma menina obviamente bonita, com sérios problemas psicológicos causados por um acontecimento muito sério em sua infância, e por isso ela é impulsiva, inconsequente e trata seus amigos com estupidez quando bem entende. Basicamente, o que parece fazê-la se tornar atraente para Miles, o narrador, é ela ser fisicamente bonita e disposta a transgredir regras, o que o tira de sua zona de conforto. E é só isso. Quando ela está triste ou irritada, ele até assume em determinado momento que não tem mais interesse em estar com ela. O que prova que o que ele sente não é amor. Alasca, por sua vez, brinca com os sentimentos de Miles, deixando-o confuso. Eu, como leitora, me sentia impaciente de maneira muito negativa em cenas do tipo.

Por fim, chegando ao plot twist da história, temos uma sucessão de pensamentos detalhados que, na minha opinião, são um gatilho pra depressão e ansiedade, e eu, que sofro de ansiedade, me senti muito mal em determinados momentos, e considero que essas passagens, em particular, não fariam a mínima diferença se fossem retiradas da história, pois só servem para intensificar pensamentos ruins de pessoas que passam por esse tipo de problema. Achei um pouco irresponsável da parte do autor e da editora por ter autorizado a publicação do livro sem ao menos um aviso do que aconteceria. Mas essa é uma opinião muito pessoal e sei que muitas pessoas não concordarão.

Acredito que, no fim do livro, o autor tenta se redimir quanto às passagens que servem de gatilho, como se estivesse dizendo “gente, desculpa aí pelo vacilo, mas foi tudo pra vocês chegarem aqui e se consolarem no final”. O que, pra mim, não foi uma missão bem-sucedida. O que vocês acham?

PS. Recentemente, saiu uma notícia incrível pra quem gosta do livro: ELE VAI VIRAR MINISSÉRIE!!! Isso mesmo! Não sei o que esperar, mas pretendo assistir, pois se tem uma coisa que eu amo, essa coisa é assistir a adaptações dos livros que já li.
Fonte: https://www.intrinseca.com.br/blog/2018/05/quem-e-voce-alasca-vai-virar-serie/


Até a próxima postagem,
Mari

terça-feira, 14 de março de 2017

Livro "Cai o Pano" - Agatha Christie #MulheresdaLiteratura


Comecei o livro pegando spoiler, mas a culpa foi toda minha. Em busca de saber qual a sequência da obra acabei descobrindo o que não queria. bruh

No livro temos um Hercule Poirot ainda famoso e agora bem idoso, depois de tantos anos de investigações acaba parando novamente na Mansão Styles, local do seu primeiro caso quando chegou na Inglaterra. Narrando o desenrolar da história temos novamente Hastings, antigo amigo do detetive e também com muita experiência nas costas, assim como algumas perdas.

"Para mim, a chegada a Styles St. Mary foi muito triste e dolorosa. Eu era um refugiado, ferido, exilado, vivendo de caridade num país estranho. Não, não estava nem um pouco feliz. Não sabia naquela época que a Inglaterra viria a ser o meu lar e que seria muito feliz aqui." (p. 15)

Logo de cara sabemos que Hercule tem algum conhecimento do que pode acontecer em Styles, transformada em um tipo de hospedaria e administrada pelo casal Luttrell, muitos convidados distintos aparecem e um deles está sendo investigado por Poirot. Hastings aceita a proposta do amigo de ajudá-lo na nova empreitada e acaba por se tornar seus olhos e ouvidos, visto que o detetive não está exatamente nas melhores condições.

Os primeiros capítulos do livro possuem alguma nostalgia e para quem leu "O Misterioso Caso de Styles" a experiência fica melhor. Confesso que apesar de ter gostado do livro não chega muito perto dos favoritos, mesmo com algumas revelações meio chocantes no final o decorrer da história é um pouco parado. Ou seja, um início bom, o meio chato e o final mais ou menos. Tem algum suspense, mas ainda faltou algo para prender como os antigos. 

Um dos pontos intrigantes é a relação dos jovens x mais velhos, muitos comentários de ambos os lados de forma negativa e talvez seja pelo reflexo do que autora vivia na época. As dificuldades nas relações de pais/mães e filhos, a mudança de pensamentos em relação as gerações e outros.

Das personagens femininas gostei muito da Judith que na maior parte do livro é criticada por sua postura fechada e crítica, percebam que como o livro é narrado por seu pai isso vai aparecer muito. Hastings têm alguns momentos irritantes e Poirot uns bons e outros nem tanto, dos outros personagens o/a assassinx têm uma característica bem relevante e para quem ler deve prestar atenção.

O livro não fica entre os melhores, mas vale a pena ler pela história do Poirot e o final com um plot twist diferente.

Nota: 3,5/5

Título: Cai o Pano
Autora: Agatha Christie
Editora: Nova Fronteira/L&PM
Páginas: + ou - 240
Sinopse: "A convite de Poirot, o capitão Hastings retorna ao local da primeira investigação de ambos: a mansão Styles. O tempo passou: o detetive belga envelheceu e está em uma cadeira de rodas; já a antiga mansão foi reduzida a uma mera hospedaria. A visita, porém, se revela mais que um reencontro entre velhos amigos. O instinto de Poirot, ainda afiado, lhe diz que entre os hóspedes há um assassino. E ele precisa que Hastings o ajude a identificá-lo antes que haja mais uma vítima – e antes que seu tempo acabe."
Créditos: Amazon, Editora Nova Fronteira e Editora L&PM
Compra? Amazon

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Preparação Maratona #MulheresdaLiteratura


No mês de março o "Queria Estar Lendo" mais uma vez está organizando um especial para incentivar a leitura de obras escritas por mulheres, neste caso um projeto de leitura e estou na expectativa de completá-lo direito. O objetivo do post é separar meus livros de cada tema da semana e chamar vocês para participar. 


Dei prioridade aos livros que estão há algum tempo parados na minha estante.

Primeira Semana (Romance Policial): Cai o Pano - Agatha Christie 

Por que não consigo resistir aos livros dessa senhora e preciso terminar de ler o terceiro de um box que ganhei anos atrás. Tenho alguma ideia do que esperar do estilo de escrita e espero me surpreender como na maioria dos livros dela que li.

Segunda Semana (Terror/Horror, Sobrenatural ou Não):  A Assombração da Casa da Colina - Shirley Jackson

Indicação do pessoal do QEL, vou ler em ebook já que provavelmente não vou atrás do físico. 

Terceira Semana (Sci-fi/ficção especulativa): O Espelho do Tempo - Catherine Fisher

É, tem um tanto de fantasia na história, mas também está classificado como ficção científica. Além de ser um livro emprestado que preciso terminar de ler logo.

Quarta Semana (Alta Fantasia): Os Mistérios de Warthia - Denise Flaibam

Minha mãe ganhou em uma promoção e fiquei curiosa para ler na época, mas acabei não pegando o livro. Agora com a maratona resolvi que estava na hora, ainda mais por que queria incluir autoras brasileiras. Não sei o que esperar ainda, mas li alguns comentários positivos.

Pretendo comentar todos os quatro livros, mas talvez de forma breve pelo tempo curto, resolvi voltar a estudar.

E vocês alguma chance de participar? Quais livros recomendaria ou escolheria?

Para mais informações acessem o blog e participem do evento: aqui. Lá tem mais detalhes e outras explicações sobre os temas e outras dicas de leituras.

Até mais,

Polie

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Anne de Green Gables na Netflix!

Quando você gosta muito de um livro talvez queira protegê-lo das adaptações e até de versões alternativas, mas porque não dar uma chance? Quem sabe pode sair próximo do que sua imaginação criou.

Ok, nesse caso específico existem muitas adaptações e agora vem outra.

A notícia que a Netflix ia transformar o livro da canadense Lucy Maud Montgomery em série saiu há um tempinho, mas só agora começaram as divulgações e a data oficial. No vídeo novo vemos algumas cenas da história e personagens ruivas das outras produções do serviço de streaming. Confira:



Por favor, um momento para gritar: AaaaaaaaaaaAAaaaah. Achei o livro tão fofo e têm algumas partes lindas e tristes, sem contar que existe toda uma coleção com a vida da Anne. Acredito que a Netflix vá adaptar até a vida adulta dela. Infelizmente só li o livro primeiro, mas procuro as continuações.

Como dito no início, a história tem várias adaptações: série canadense, filme, websérie, mangá, musical e etc. Espero que a Netflix acerte mais uma vez. ♥

Nos vemos dia 12 de maio!


Um pouco mais sobre o livro:
Meu comentário da obra: aqui

"Uma menina de 11 anos com cabelos ruivos sardas e uma mente tão perspicaz quanto a de um cientista em busca de conhecimento chega a uma terra onde as tardes são calmas; os pores do sol alaranjados; as florestas aconchegantes; e os rios suaves como o ritmo do povoado. Sua boca é uma matraca e seus sonhos são maiores que moinhos de vento. Anne vai crescendo e crescendo e de patinho feio revela-se um elegante e atento cisne pronto para abrir suas asas e voar para além das veredas. Mas a vida é feita de artimanhas e a garotinha adotada pelos irmãos Marilla e Matthew tem algumas cercas a pular sem jamais deixar seus sonhos desvanecerem como algumas criaturas fazem." Créditos: Amazon e Martins Fontes
Onde comprar: http://amzn.to/2kuuM3a


Tecnologia do Blogger.
bookworm like © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.